icxp aluguel
Imobi Report

[160] ICXP Aluguel: programação dedicada ao segmento de locação e formato híbrido

Depois do sucesso do ICXP 2022, realizado no mês de março, o Imobi Report e a CUPOLA se unem novamente para retomar o calendário de eventos específicos para nichos do mercado imobiliário. O primeiro do ano será dedicado à locação, abordando diferentes aspectos da rotina das operações de imobiliárias que atuam nesse segmento, como rentabilidade, garantias locatícias, gestão de conflitos e captação de imóveis, entre outros. É o ICXP Aluguel, que acontece no dia 19 de maio e inaugura um novo modelo de eventos promovidos pelo Imobi Report e pela CUPOLA. 

icxp aluguel

Com formato híbrido, o ICXP Aluguel acontecerá presencialmente em Indaiatuba (SP), mas contará com transmissão ao vivo. Assim, quem não estiver presente poderá adquirir o ingresso online para acompanhar a conferência. Alguns dos palestrantes e painelistas já confirmados são Rodrigo Werneck (CUPOLA), Daniel Claudino (CUPOLA), Guto Areão (Giacomelli), Marcos Mendonça (Confronto), Marlise Viau (Crédito Real) e Pablo Bueno (61 Imóveis). 

A programação do ICXP Aluguel também incluirá uma dinâmica de role play, como já é tradição nos eventos de nicho do Imobi Report. O case será debatido por especialistas do mercado, que vão comentar os pontos positivos do atendimento e os aspectos de melhoria. O evento conta com patrocínio de Captei, Grupo RV, Jetimob, Porto Seguro, QuintoAndar, Refera e Sigafy. Os ingressos para o ICXP Aluguel já estão disponíveis

Além da organização dos próximos eventos e da produção desta newsletter, a equipe do Imobi Report segue trabalhando a todo vapor, com a elaboração de muitos outros conteúdos focados no mercado imobiliário. No portal Imobi Report, semanalmente são publicadas diversas matérias exclusivas sobre o setor. E, no podcast Semana Imobi, nossa equipe comenta as principais notícias dos últimos dias que impactam a rotina das imobiliárias e incorporadoras de todo o país. Nesta semana, o assunto é vazamento de dados e golpe do falso boleto. 

Para quem gosta de conhecer boas histórias do mercado, outra escala obrigatória é o podcast Modo Avião. No episódio desta semana, Rodrigo Werneck, CEO e estrategista-chefe da CUPOLA, recebe os irmãos Fred e Rodolfo Judice Araújo, que contam um pouco da história da imobiliária da família, presente há 47 anos no mercado do Estado do Rio de Janeiro, atuando na capital fluminense desde 2004. Na entrevista, os sócios da Judice Araújo contam como a imobiliária passou de uma empresa familiar para uma grande organização, dedicada ao mercado de luxo e alto padrão, com perspectiva de expandir seus negócios com a criação da franquia HomeHub. 

O Imobi Report também produz relatórios periódicos segmentados, como o Imobi Aluguel, que esta semana fala sobre o crescimento de um novo modelo de operação: plataformas que intermediam somente algumas etapas do aluguel, com estrutura enxuta e baixo custo ao proprietário (cerca de R$ 50 mensais por imóvel). Contamos quem é o público dessas startups, como elas captam clientes no mercado e se a operação é viável financeiramente. Tem dinheiro de investidor apostando alto nas proptechs desse modelo. 

Para acessar esse texto e os demais conteúdos do Imobi Aluguel (podcast, curadoria de notícias da locação, comunidade no WhatsApp e webinar exclusivo), clique aqui para cadastrar-se na série semanal produzida pela equipe de especialistas do Imobi Report. 

Incorporadoras

Resultados expressivos marcam o início de ano da Moura Dubeux, que vai na contramão do mercado. No mesmo dia em que grandes incorporadoras recuaram fortemente na B3, a construtora nordestina registrou um avanço de 6% no valor dos papéis, após a divulgação da prévia operacional da empresa do primeiro trimestre. Os números mostram que este foi o melhor período da história da companhia, com VGV de R$ 353 milhões – quase 300% a mais que o registrado no mesmo período do ano passado.

Para entender melhor a estratégia de sucesso da Moura Dubeux na venda de lançamentos, vale conferir um conteúdo especial no Imobi. Procuramos conhecer melhor o plano de algumas companhias para acelerar as vendas no primeiro semestre, driblando a escalada dos juros e as incertezas eleitorais. Entrevistamos Diogo Barral, gerente de RI da Moura Dubeux, além de Henrique Blecher, CEO da Bait, e Anne Miritello, diretora de vendas da Local Boutique Upper Class, divisão de luxo e alto padrão da Lopes em São Paulo.

E tem uma fila de players de olho no alto padrão. Na Gafisa, a aquisição da Bait faz parte do plano. Após passar por percalços em termos de lucratividade, a Gafisa vem focando em seu reestabelecimento operacional. Já na EZTec, o comportamento recente do mercado e a queda do dólar ajudam a reforçar a decisão comunicada pela empresa na semana passada de focar investimentos nas construções de luxo. No Nordeste, a pernambucana DUE lançou R$ 1 bilhão em VGV no ano passado e reforça a aposta em imóveis luxuosos no litoral de diferentes estados.

Para estar na agenda dos clientes deste segmento, entender sobre economia é um diferencial importante. Porém, no alto padrão, até onde vai o papel do corretor de imóveis ao falar sobre investimentos junto ao cliente, como um consultor? O que é preciso saber e o que é preciso delegar? No Imobi Alto Padrão desta quinta-feira (14), conversamos com especialistas para entender melhor qual é o limite para esta abordagem. Conheça o Imobi Alto Padrão: clique aqui e experimente grátis por uma semana.

O aluguel de imóveis de curta e média temporada também está no plano de diversas construtoras. No Espírito Santo, empresas têm investido em novos formatos e parcerias com startups e ainda com marcas de sabão, por exemplo, para entregar facilidades variadas.

Imobiliárias

Depois de fazer sua estreia em Porto Alegre, com a compra da Foxter, a Loft está expandindo sua presença na capital gaúcha por meio de uma parceria com a Auxiliadora Predial, que passa a listar seus imóveis no site da startup a partir desta semana. O unicórnio está investindo recursos na divulgação, mas o atendimento continua sendo da Auxiliadora Predial, que também passa a ter acesso aos produtos e serviços financeiros das empresas do Grupo Loft. 

O preço da casa própria ficou 1,58% mais caro no primeiro trimestre deste ano, de acordo com levantamento do Índice FipeZap divulgado nesta semana. Só em março, a alta foi de 0,55%. Com essa variação, o valor médio do metro quadrado disponível para venda atingiu o valor de R$ 7.981. A pesquisa ainda revela que a cidade mais cara para se adquirir um imóvel atualmente é Balneário Camboriú, onde o metro quadrado está valendo R$ 9.888.

O valor do metro quadrado para aluguel também cresceu de forma significativa nos últimos meses. No Rio de Janeiro, a quantia chegou ao seu maior índice desde 2019, com uma alta de 2,6% em comparação com o mês anterior, de acordo com o Índice QuintoAndar de Aluguel. O metro quadrado para locação na capital fluminense atingiu R$ 32,41 no mês passado. 

Em São Paulo, a situação é bem parecida. Ainda de acordo com o Índice QuintoAndar de Aluguel, 56% dos bairros da capital paulista já apresentam aluguel mais caro do que antes da pandemia. 

A renegociação de valores de aluguel e a mediação de conflitos foram práticas tão constantes durante a pandemia que acabaram gerando um passivo importante no que se refere à saúde mental no mercado de locação. Diante desse quadro desafiador, as imobiliárias tiveram que dar mais atenção à gestão de pessoas, com um atendimento mais humanizado em seus departamentos de RH. Para falar sobre o tema, a equipe do Imobi Report entrevistou Carolina Brum, gerente de gestão de pessoas da Imobiliária Casarão, de Pelotas (RS), que também abordou o assunto em sua palestra no ICXP 2022. 

Techs

A Casai, startup mexicana de hospedagem, adquiriu a brasileira LoopKey, empresa líder em controle de acesso. A plataforma fornece um sistema exclusivo de gestão de entrada integrado a fechaduras eletrônicas. O negócio faz parte do plano da Casai para liderar o segmento de estadias de curto e médio prazo.

Um aumento de quase 70% na carteira de crédito e um salto de 95 para 340 funcionários. Este é o balanço da CashMe, fintech da Cyrela, na comparação entre o primeiro trimestre do ano passado e o mesmo período de 2022. Hoje com uma carteira de R$ 1,25 bilhão, a empresa pretende chegar aos R$ 2 bilhões em dezembro. Outra fintech que mira expansão é a Crediall, baseada no RJ, que chegou a R$ 1,2 bilhão em financiamentos.

No metaverso, o mercado imobiliário deve crescer a uma taxa anual de 31% até o ano de 2028. É o que aponta um relatório da BrandEssence Market Research, indo ao encontro do movimento de diversos investidores, que já aportaram mais de US$ 500 milhões em imóveis virtuais. Além de corretores de imóveis, a construção civil também está colocando os pés neste novo ambiente, desenvolvendo facilidades que podem prever e solucionar problemas reais.

Falando em digitalização, uma parceria entre Netspaces e Rispar já permite o uso de tokens NFT de imóveis como garantia de crédito. A primeira transação deste tipo no Brasil foi realizada em Porto Alegre (RS). A novidade cria um novo uso para os imóveis tokenizados, prometendo gerar liquidez em poucos minutos.

Mas nem tudo são flores para as startups. No Twitter, bombou a história de uma moradora que alugou um imóvel pelo QuintoAndar e relatou uma série de apuros. Ela conta que o portão do imóvel foi arrombado e, para não ficar com a casa aberta, contratou um serralheiro de forma emergencial. Porém, o pagamento da conta de R$ 800 virou uma novela. A proprietária negou o reembolso e a QuintoAndar, em um primeiro momento, falou que a locatária deveria bancar o prejuízo integralmente, devido a natureza do ocorrido e por ela não ter levantado pelo menos três orçamentos para contratar o serviço. Mais tarde, diante da repercussão negativa do caso, o unicórnio pediu desculpas e afirmou que vai fazer o ressarcimento. Em casos como este, fica clara a necessidade da humanização dos processos, especialmente aqueles de cunho emergencial.

Mundo

Depois de dois anos de recordes no mercado norte-americano, a Kellers Williams começa a sentir o impacto da iminente queda no volume das transações imobiliárias nos Estados Unidos. E, para contornar essa situação, a rede está apostando em uma nova abordagem, colocando seus agentes no centro de tudo. Em entrevista ao Inman, o presidente da companhia, Marc King, dá detalhes sobre essa estratégia. 

Para os brasileiros, o mercado imobiliário norte-americano volta a ser uma boa oportunidade de investimento, agora que o preço do dólar está finalmente caindo. Não é à toa que o Itaú aproveitou esse momento de desvalorização da moeda norte-americana frente ao real para lançar seu primeiro fundo de investimento com exposição a imóveis nos Estados Unidos. 

O Canadá, por sua vez, decidiu proibir a compra de imóveis por estrangeiros. A justificativa, segundo o primeiro-ministro Justin Trudeau, é uma tentativa de estabilizar os preços do mercado imobiliário no país. Matéria produzida pela BBC News e publicada pelo UOL no Brasil explica melhor a questão. 

O Airbnb ampliou sanções contra a Rússia e a vizinha e aliada Belarus também foi afetada. Pela decisão, todas as reservas que começariam na semana passada foram canceladas automaticamente.Também foi definido que pessoas que estejam nos dois países não podem realizar reservas em ambas as regiões.

Compradores brasileiros estão movimentando o mercado imobiliário de Portugal. “Os brasileiros continuam a ser a nacionalidade número um nas vendas de imóveis”, afirma Patrícia Barão, diretora da consultoria imobiliária JLL. A procura no país europeu está muito superior à oferta e os aluguéis tiveram alta de 7,7% em 2021.

Novos lockdowns na China podem afetar a construção civil brasileira. A dependência de matéria prima produzida do país asiático é grande, especialmente de itens como metais e insumos químicos. O lockdown em Xangai, grande pólo financeiro chinês, aconteceu após o registro de 73 mil casos de Covid-19 na onda mais recente da doença.

Estamos de olho

A economia prateada – segmento voltado a soluções pensadas para o público de 50 anos ou mais – está em alta e já movimenta R$ 1,3 trilhão por ano. Diante deste avanço e da maior longevidade da população, como o mercado imobiliário deve agir? Para entender mais sobre o assunto, confira no Imobi o artigo de Flavia Ranieri, arquiteta e co-fundadora do gero.pro e uma das palestrantes do ICXP.

No Rio de Janeiro, foi lançado o segundo empreendimento residencial do Reviver Centro. Com 360 apartamentos, o Vargas 1.140 Residencial será erguido em um terreno na Avenida Presidente Vargas, ao lado da estação de metrô com o mesmo nome. Este é o primeiro lançamento residencial na principal via do bairro em mais de 70 anos – o último foi em 1945.

Enquanto isso, as tragédias provocadas pelas chuvas seguem tendo desdobramentos no RJ. Em Angra dos Reis, a prefeitura realiza o cadastro de desabrigados para o recebimento de um aluguel social. Famílias estão sendo cadastradas nos pontos de apoio, e quem estiver abrigado na casa de parentes deve procurar uma unidade do Cras. Ao mesmo tempo, a Defesa Civil avalia imóveis para fazer possíveis interdições.

E o Governo Federal anunciou que vai estabelecer medidas para que recursos da União possam ser utilizados na reconstrução de moradias destruídas ou interditadas definitivamente por desastres naturais. A ação deve valer em todo o país para municípios que tenham obtido o reconhecimento federal de situação de emergência ou de estado de calamidade pública. 

Os bens penhorados de devedores do Governo Federal serão colocados à venda em uma plataforma única. O marketplace recebeu o nome “Comprei” e, segundo o Ministério da Economia, o objetivo é aumentar a efetividade da cobrança fiscal, combater a sonegação e aumentar a arrecadação. O projeto já foi regulamentado e entra em vigor a partir do dia 2 de maio, ficando a cargo da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional. Inicialmente, o acervo deve contar com mais de 8 mil casas, apartamentos e terrenos.

Com uma representação de 7%, o mercado imobiliário está na lista dos setores econômicos com o maior número de bilionários no mundo. De acordo com a revista Forbes, atualmente, 193 dos 2.668 nomes da lista construíram suas fortunas no mercado imobiliário, entre eles Lee Shau Kee, cofundador da incorporadora Sun Hung Kai, que tem um patrimônio de 32,6 bilhões de dólares (R$ 154,8 bilhões). Entre poucas mulheres que conseguiram chegar ao posto de bilionárias – há somente 327 e a maioria compartilha suas riquezas com os maridos -, também há duas representantes do ramo da incorporação, as chinesas Chan Laiwa e Wu Yajun, esta última com uma fortuna calculada em 15,3 bilhões de dólares (ou R$ 72,6 bilhões).

Uma corretora de imóveis brasileira está se destacando no mercado imobiliário norte-americando. Trata-se de Luciane Serifovic, que será uma das profissionais homenageadas no prêmio Premier Business Women of Long Island 2022, por sua performance no mercado de venda de imóveis de luxo. Em entrevista ao portal Brazilian Times, ela conta um pouco de sua trajetória até chegar a esse reconhecimento. 

Para saber o que está rolando de novidade no mercado imobiliário, nada melhor do que acompanhar conteúdo em diferentes redes sociais. Por isso, a Casa Vogue fez uma lista com corretores de imóveis que estão inovando no Instagram e no TikTok e podem servir como referência para quem está buscando produzir mais conteúdo nessas redes. Na área de podcasts, quem sempre traz informações e entrevistas interessantes sobre o mercado é Sergio Langer, no Vem Pra Mesa. No episódio desta semana, ele entrevista Roger Ades, diretor de Marketing e Produtos do Grupo Rendimento, formado pelas marcas Agillitas, Banco Rendimento e Cotação.