fbpx

Imobi Report

[132] Loft adquire Foxter, tradicional imobiliária gaúcha

Imobi Report
Escrito por Imobi Report em 21 de setembro de 2021
10 min de leitura
[132] Loft adquire Foxter, tradicional imobiliária gaúcha
Toda semana, no seu e-mail.

Assine gratuitamente a principal newsletter do mercado imobiliário brasileiro.

Na última sexta-feira, a Loft anunciou a aquisição da Foxter, tradicional imobiliária gaúcha. A operação marca a primeira imobiliária adquirida pelo unicórnio e a entrada em mais uma praça e região, o sul do país. Até então, a Loft atuava somente no sudeste.

Em entrevista exclusiva ao Imobi Report, Mate Pencz, fundador e co-CEO da startup, conta como a aquisição vem para dar mais capilaridade a serviços como o marketplace, crédito imobiliário e seguro fiança. É a terceira compra da empresa nos últimos meses, que adquiriu a CrediHome e CredPago. (Chegou a rolar uma piadinha aqui na redação, de que, para ser adquirida pela Loft, precisava ter Credi no nome. A Foxter provou que não).

Mate também reforça como a posição da startup é oferecer uma experiência de e-commerce e promover um modelo de negócio colaborativo entre clientes, imobiliárias e corretores e a plataforma em si. Na entrevista, ele apresenta uma posição pró-mercado e afirma não acreditar na desintermediação como futuro do setor. Opinião bem estratégica considerando os fatos da última semana…

Se você hibernou ou esteve sem acesso à internet na última semana, o Imobi explica o que rolou: uma landing page do ZAP Imóveis causou repercussão negativa no mercado por incentivar a desintermediação. Na publicação (que já foi tirada do ar), uma calculadora sugeria que 6% do valor do negócio, comissão paga para os corretores, poderia ser “economizada” pelo proprietário ao anunciar diretamente no portal. A controvérsia está justamente no fato de que os principais clientes da plataforma são corretores e imobiliárias, que pagam para publicar seus anúncios. A crise acontece poucas semanas antes do Conecta Imobi, tradicional evento promovido pelo Grupo ZAP, e ainda deve reverberar pelos próximos dias.

Inclusive, nesta quarta-feira, a CUPOLA (casa do Imobi Report) promove um webinar para discutir: estamos chegando no final da era dos portais imobiliários? Gratuito, às 19h, o objetivo é trazer uma análise detalhada sobre o que está acontecendo nos últimos meses e quais alternativas para gerar leads qualificados sem depender dos portais. Inscrições abertas.

Imobiliárias

A Caixa diminuiu a taxa de juros de financiamento na linha de crédito atrelada à poupança. A nova taxa é de 2,95% ao ano e vale a partir de outubro. 

Segundo o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, a alta da Selic e o lucro da estatal criaram margem para a redução dos juros da linha. O valor anterior era de 3,35%, ou seja, a redução foi de 0,4 ponto percentual. 

Esta linha de crédito também é ofertada pelos bancos privados Itaú e Bradesco, que cobram juros anuais de 3,49% e 2,99%, respectivamente. Lembrando que, na modalidade poupança, o cliente paga a taxa fixa mais a remuneração da poupança para o período. Ou seja, na prática, este crédito terá juros de 6,62% ao ano, levando em conta o valor da Selic vigente.

Só que as novidades no mercado de crédito não devem parar por aí: a Selic, que já subiu para 5,25%, deve ter novo aumento nos próximos dias. Ou seja, mais reajustes devem bater na porta dos clientes.

Falando em ajustes, o Casa Verde e Amarela também teve novidades. Após o esperado aumento do teto, o Imobi conversou com representantes do setor e reuniu opiniões sobre a mudança. O ajuste faz parte de uma corrida promovida pelo governo federal, de olho nas eleições de 2022.

Voltando à palavra da vez: crédito. No acumulado de 12 meses até julho de 2021, o volume financiado com recursos da poupança chegou a R$ 185,6 bilhões. Conforme dados da Abecip, o aumento é de mais de 100% em comparação com o período anterior. A boa fase vai ao encontro da opinião do economista-chefe do Secovi, Celso Petrucci, que vê um cenário otimista para os próximos. 

Porém, embora os juros sigam convidativos na comparação com anos anteriores, alguns especialistas entendem que os financiamentos irão perder força logo. No crédito de longo prazo, cada ponto percentual extra representa uma pancada maior no bolso, o que pode arrefecer o interesse do público.

O sobe e desce de taxas é tanto que o consumidor está perdidinho. Falando de financiamento e aluguel, com alta da inflação, vale a pena trocar o IGP-M pelo IPCA? Mesmo estando perto do maior nível desde 2016, neste momento o IPCA pode ser considerado interessante por ser menos impactado pelo dólar. 

Como ter sucesso no mercado de luxo? Alguns diferenciais do corretor de imóveis podem fazer toda a diferença, mas uma regra é unânime: surpreender positivamente o cliente. Para conquistar o comprador, nunca é demais investir em informação, networking e conhecimento sobre economia e o mercado da região. 

A taxa de condomínio é uma dor de cabeça que faz parte da rotina da locação. Para garantir maior controle do trâmite, a imobiliária pode se responsabilizar por este pagamento. É o que acontece na Lowndes, do Rio de Janeiro, entrevistada pelo Imobi.

O avanço da vacinação movimenta também a expectativa sobre a locação de espaços comerciais. Enquanto o setor logístico viveu boa fase com o crescimento do e-commerce, os escritórios e lojas estão só agora voltando à mesa de negócios. Só que, por conta da inflação, surge também a pressão sobre os preços destes espaços.

A hospedagem long stay é outra tendência que vai ganhando campo. Alternativa para o aluguel tradicional, a busca por planos de longa permanência em hotéis está conquistando mercado no interior de São Paulo. Apesar de mais cara, a opção dispensa pagamento caução ou fiador – e ainda conta com cama arrumada e café da manhã.

No Imobi Aluguel desta semana, repercutimos a decisão judicial em segunda instância que condenou uma imobiliária do Rio de Janeiro a uma multa de R$ 100 mil por cobrar taxas consideradas abusivas dos candidatos a inquilinos. Que encargos a lei permite cobrar? Quais os procedimentos adequados? O que fazer se o Ministério Público bater à porta? Ouvimos advogados e representantes do setor para responder essas e outras dúvidas. Mostramos também a posição da imobiliária Reis Príncipe, alvo da ação.

O Imobi Aluguel é o relatório de inteligência semanal do Imobi Report inteiramente dedicado ao setor de locação. Experimente o Imobi Aluguel gratuitamente por 7 dias e já garanta o acesso à edição de amanhã.

Incorporadoras

Uma nota publicada pela Veja conta como o Grupo WTB pretende lançar, até o final do ano, cinco bairros planejados na região de Ribeirão Preto. Com mais de 5 mil unidades populares, todos os empreendimentos se enquadrarão no programa Casa Verde e Amarela. Depois de concluídos, a empresa deve investir no sul de Minas e na capital paulista.

Já na EXAME, Incorporadora Tegra conta como está investindo em conceitos de ESG e promovendo sustentabilidade. Entre as ações, está a reciclagem de 99,1% dos resíduos de obra, além da adoção de concreto que emite menos CO² e a compensação da emissão do dióxido de carbono através do replantio de mais de 260 mil árvores.

Para ajudar a vender imóveis populares pela internet, em julho de 2020 a Tenda lançou a Loja Virtual da Tenda. Entre as ferramentas ofertadas, uma espécie de “Tinder”, que dá match entre o futuro morador, sua residência ideal e sua possibilidade de financiamento. Com a plataforma, o volume de vendas da Tenda no primeiro trimestre de 2021 foi 50% maior que o mesmo período de 2020.

Falando em Tenda, Rodrigo Osmo, CEO da construtora, foi o primeiro entrevistado da segunda temporada do podcast CBN Profissional. Osmo conversou com Juliana Prado, repórter da CBN, e Bárbara Bigarelli, do Valor, sobre as estratégias adotadas pela Tenda para otimizar as reuniões virtuais.

Dados do Instituto Reclame Aqui apontam que construtoras, incorporadoras e empresas de empreendimentos já registraram 13.551 reclamações sobre problemas com obras neste ano, o que corresponde a 65,9% das queixas publicadas no site em 2020. Os principais motivos para reclamações são 5: problemas no pagamento, vícios (problemas na estrutura da obra, mau funcionamento de instalações e defeitos), questões com documentação, atendimento e prazos (obras não entregues ou paradas).

Techs

Qual é a chave do sucesso de um negócio? Para a Superlógica, é ter as imobiliárias parceiras satisfeitas. Para comemorar o mês do cliente, conversamos com Luis Paulo Pereira e Ronaldo de Andrade, product manager e consultor executivo da Superlógica, respectivamente. Em entrevista ao Imobi, eles explicam como a empresa foca na experiência do usuário para alavancar negócios.

Dados de uma pesquisa trimestral da KPMG apontam uma queda de 43% de fusões e aquisições realizadas pelas empresas do setor imobiliário no primeiro semestre, em comparação com o mesmo período do ano passado. O relatório também aponta que todas as operações foram domésticas, ou seja, realizadas entre companhias brasileiras. 

A Housi, que surgiu como spin-off da Vitacon para locar os imóveis da incorporadora, agora retorna para o mercado de compra e venda de imóveis. A companhia lançou o Housi Vendas, um braço de comercialização de ativos para investidores. Assim, a Housi ganha comissão sobre as vendas e ainda disponibiliza o imóvel comprado pelo investidor para locação por assinatura pela própria empresa. Segundo notícia do Neofeed, nos próximos 12 meses, 19,2 mil unidades ficarão prontas para serem vendidas e a Housi espera vender entre 10% e 20% desse total.

Proptech que adquire imóveis em situações especiais (em processo judicial, extrajudicial, leilão ou pendente de regularização) e os conecta com compradores, a Rooftop investiu no que chama de “sua própria rede de agentes autônomos imobiliários”. Os agentes consistem em imobiliárias de São Paulo que fecharam parceria com a proptech para oferecer o portfólio da Rooftop para seus clientes e encontrar potenciais imóveis. Além da compra e venda de imóveis pela plataforma, a Rooftop também tem seu próprio FII.

Falando em investidores, dados da CapRate apontam que 96,8% dos investidores de renda fixa em imóveis buscam oportunidades com rentabilidade superior a 16%. O mesmo levantamento da plataforma indica que 36,1% dos entrevistados estariam dispostos a aplicar valores a partir de R$ 15 mil. Já 32,8% responderam que estariam propensos a investir de R$ 5 mil a R$ 9,9 mil no investimento.

Quem fechou uma parceria com a TETO Brasil foi a Kzas Kréditofintech de crédito imobiliário. A cada financiamento realizado pela plataforma, será gerada uma doação a ser utilizada na construção de moradias de emergência para pessoas em situação de vulnerabilidade em 7 estados brasileiros e no DF. Os clientes do financiamento também recebem um certificado, lembrando da sua participação na ação.

Mundo

A crise de um conglomerado chinês pode causar um efeito dominó no mercado internacional. Trata-se da Evergrande, incorporadora chinesa que tem uma das maiores receitas do mundo. Ela tem braços não só na construção civil, mas em segmentos variados, como alimentos, bebidas, além de veículos elétricos, parques temáticos e até mesmo um time de futebol. 

Só que o grupo criou dívidas astronômicas para sustentar todas estas frentes. O passivo está estimado em mais de US$ 300 bilhões. Com a dívida gigantesca e a falta de perspectivas, as ações da empresa já caíram 80% neste ano. Para piorar, o mercado imobiliário chinês, que é a principal fonte de receita da empresa, vive uma queda contínua.

Em uma corrida destrambelhada para se desfazer de patrimônio e levantar dinheiro – sem sucesso até o momento -, o conglomerado já sinalizou que não terá condições de pagar os juros de suas dívidas. Na avaliação de especialistas, o risco de calote é alto

E este é o medo do mercado global, que, na prática, já está sendo contaminado pelo derretimento da Evergrande. São cifras altíssimas na jogada e chances reais de inadimplência cruzada – um tombo ladeira abaixo na economia. A intervenção do governo chinês sobre a empresa é vista como um caminho decisivo para evitar um novo “evento Lehman”, ocorrido na crise de 2008.

Estamos de olho

100 novas favelas surgiram na cidade do Rio de Janeiro em 20 anos. Este é o balanço feito pela prefeitura, em um levantamento que considerou o período entre 1999 e 2019. São 4,8 milhões de metros quadrados ocupados pelas novas comunidades, área equivalente a duas vezes o bairro do Leblon.

Saber negociar é saber ouvir. Você conhece a escuta ativa? Confira no Imobi um artigo de Kariny Martins que traz 15 dicas práticas para aproveitar esta ferramenta, se tornar um ouvinte melhor e alavancar o seu poder de negociação.

Já pensou em alugar um cômodo de sua casa para usar como depósito? A solução é oferecida pela plataforma All In, que conecta pessoas com espaço disponível a usuários que procuram um cantinho para guardar seus objetos. A brecha no mercado brasileiro para este serviço é grande – estima-se que 80% das pessoas ainda não conhecem a atividade de self storage.

A Votorantim está entrando no segmento imobiliário, de acordo com o Brazil Journal. Segundo o site, a empresa adquiriu uma participação de 60% na torre corporativa Alto das Nações, em São Paulo, por R$ 1 bilhão. 

O potencial do marketing digital para seu negócio é o tema da próxima Fix Live, que acontece às 19h desta quinta-feira (23). Promovido pela startup Fix, traz Rodrigo Werneck, estrategista-chefe da CUPOLA, como entrevistado da edição. O encontro será conduzido por Thais Sterenberg, Head de Marketing da Fix. A inscrição para o evento é gratuita.

Do Imobi Report para seus ouvidos. Confira as notícias do mercado imobiliário comentadas pelo nosso time no podcast Semana Imobi. Na última edição, falamos sobre os bancos no crédito imobiliário, assinatura eletrônica e o novo teto da Casa Verde e Amarela. Já no Imobi Explica, podcast apresentado por Denis Levati e Ana Clara Tonocchi, o assunto da vez é a força do mercado de loteamentos no interior. Para tratar do assunto, convidamos Ricardo Telles, CEO na Perplan Urbanização e Empreendimentos.

Outra recomendação é o Vem Pra Mesa, que recebeu nesta semana Alexandre Cunha, diretor de vendas na Cury Vendas, empresa que atua em SP e RJ e é focada no segmento econômico.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

0 0 votes
Avaliação do artigo
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x