fbpx

Opinião

Desafios para o mercado de loteamentos no pós pandemia

Denis Levati
Escrito por Denis Levati em 17 de maio de 2021
6 min de leitura
Desafios para o mercado de loteamentos no pós pandemia
Toda semana, no seu e-mail.

Assine gratuitamente a principal newsletter do mercado imobiliário brasileiro.

O mercado de loteamentos foi um dos que mais cresceu no Brasil mesmo em tempo de pandemia. Amparado tanto pelas notícias de êxodo urbano como por ser uma opção viável de moradia sob medida, os bairros horizontais se multiplicaram no biênio 2020-2021. 

Mesmo com dados escassos e pouco atualizados, as empresas loteadoras relatam crescimento de mais 200% na busca por terrenos durante o período relatado e basta conferir as ofertas no segmento para constatar que o crescimento é real.

Com experiência na área de loteamentos e condomínios horizontais, constato que existem muitos pontos interessantes neste segmento que fazem dele uma das mais interessantes alternativas de moradia para as pessoas e caminho viável para urbanismo das cidades. 

Para constituir novos bairros, os projetos precisam ser atraentes e oferecer benefícios tanto para os moradores como para o município. Além disso, como o acesso ao crédito é menos burocrático, geralmente feito diretamente com a loteadora, a receita de sucesso dos loteamentos fica evidente. 

Porém, nem tudo são flores e existem desafios que o cenário econômico que se desenha para o pós-pandemia impõe para o mercado de loteamentos e que as empresas loteadoras precisam enfrentar para seguir crescendo. Vamos a eles:

1. Aumento do IGP-M

Se o IGP-M pressiona os aluguéis e geram movimentos de negociação entre inquilinos e proprietários, no mercado de loteamentos a alta histórica e sem precedentes do índice econômico também faz os seus estragos. 

A correção das parcelas normalmente é feita pelo IGP-M e impactou seriamente o orçamento dos compradores aumentando a inadimplência.

A busca por acordos e alternativas ao invés do repasse total do índice é o que muitas empresas tem feito para que os clientes não façam distrato das unidades contratadas e esse movimento deve ser acompanhado. 

O lado negativo da compra de um terreno é o fato dele ser parte do sonho da casa própria, sendo a construção a outra parte deste projeto. É justamente sobre isso o próximo desafio para as loteadoras. 

2. Aumento do material de construção

Quem compra um terreno precisa considerar a construção de sua casa e quando aumentos se acumulam, como é o caso do cenário que estamos vivendo em 2021, é natural que as pessoas adiem seus planos de moradia ou mesmo investimentos. 

Se o aumento e a escassez dos materiais não impacta tanto as loteadoras e construtoras de condomínios horizontais como as que constroem prédios e edificações, ele afasta os compradores que, mesmo desejando morar em empreendimento moderno e atraente, preferem esperar pela melhora no cenário econômico. 

É por conta da alta nos valores dos materiais que algumas empresas estão buscando oferecer a construção da casa no terreno adquirido como discorro a seguir. 

3. Loteadores pressionados para virar construtores

Com aluguel para pagar e com o IGP-M em alta, fica difícil para as famílias planejar a compra de um terreno para só depois começar a construção de uma casa. 

Para não perder clientes e oferecer novas oportunidades de negócios, muitos loteadores estão oferecendo construções em seus novos projetos. Devemos ver cada vez mais empresas oferecendo casas e não apenas os terrenos. 

O desafio é grande, pois a estrutura de uma empresa que viabiliza loteamentos é bem diferente daquela que faz edificações. Os empresários têm aí oportunidades de fazer parcerias e de aumentar seu portfólio de serviços ou de enfrentar os problemas como a devolução de terrenos como mencionado. 

Uma das soluções encontradas por imobiliárias é o oferecimento da aquisição do terreno mais a construção da casa, opção de linha de crédito da Caixa Econômica que viabiliza projetos de moradia e acelera a venda de loteamentos. 

Mercado de loteamentos em crescimento

Mesmo com esses desafios, o setor de loteamentos deve seguir em crescimento, visto que atinge vários públicos interessados em moradia como também investidores. Assim como acontece no mercado de locação e de lançamentos, também devemos encontrar startups que ofereçam soluções tecnológicas e financeiras para o segmento. 

Um abraço e até o próximo.

Denis Levati

Denis Levati

No mercado imobiliário ocupando diversas posições desde 2008, Denis Levati tem passagens por grandes empresas como Lopes, VivaReal e Zap. Hoje é especialista em conteúdo e sócio da agência Cupola.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

5 1 vote
Avaliação do artigo
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x