fbpx

Imobi Report

[120] A ressignificação da casa durante a pandemia

Imobi Report
Escrito por Imobi Report em 29 de junho de 2021
12 min de leitura
[120] A ressignificação da casa durante a pandemia
Toda semana, no seu e-mail.

Assine gratuitamente a principal newsletter do mercado imobiliário brasileiro.

Um levantamento do Gente, núcleo de pesquisa da Globo, reuniu dados sobre a ressignificação da casa durante a pandemia. Boa parte são informações que já compartilhamos aqui no Imobi, mas assim, reunidas, evidenciam o impacto da pandemia na relação das pessoas com os seus lares.

A cada dez brasileiros, sete veem suas casas de forma diferente após a pandemia. Aqueles que decidiram se mudar em meio à crise sanitária somam 17%. Distanciamento social, trabalho e escola remotos foram os principais vetores para a mudança. A importância da área de lazer cresceu 25%, assim como a demanda por áreas verdes em torno do imóvel, que cresceu 28%.

Quem não mudou de casa, mudou a casa. Nas classes mais altas, 55% fizeram algum tipo de reforma. Na classe C, 49% das famílias também reformou algo. Há, ainda, o peso do investidor: 46% dos compradores no último trimestre de 2020 adquiriram um imóvel como investimento. O material está disponível na íntegra neste link.

E uma pesquisa do Imovelweb aponta que o cenário atual aumentou o desejo de mudar de imóvel para 77% dos pesquisados. Dos que querem comprar um imóvel, 38% pretendem mudar em menos de um ano, 32% em menos de dois anos, 26% em menos de seis meses e 4% neste mês. 

Imobiliárias

Pesquisa do DataZAP+ com compradores e inquilinos aponta quais as medidas preferidas dos clientes para encontrar um imóvel durante a pandemia. Para 65%, a preferência é por anúncios com fotos profissionais do imóvel. Três em cada dez fizeram tour 360º no imóvel, enquanto 21% dos entrevistados realizou visitas virtuais, via ferramentas de vídeo. 

A digitalização do mercado imobiliário foi pauta em outros veículos de imprensa: reportagem no R7 cita a demanda dos usuários por funcionalidades digitais; a Casa Vogue traz uma entrevista com a FD Fotografia, especializada em fotos profissionais e tours 360º; e a Folha de S. Paulo traz cases de empresas fazendo lives em decorados e test drive em apartamentos. Vineia Koche, uma das entrevistadas, conversou recentemente com o Imobi Report.

E até a Caixa está investindo mais no digital. O banco está realizando o 1º Feirão Digital da Casa Própria até o dia 4 de julho, próximo domingo. São cerca de 180 mil imóveis em todo o país, que podem ser escolhidos na plataforma, que oferece uma simulação do financiamento e possibilita que o cliente seja atendido por um correspondente da Caixa, via chat.

O IGP-M, que acumula alta de 36,65% em 12 meses, é tema no UOL em dois conteúdos: uma reportagem conta como locatários estão tendo que se mudar às pressas, já que seus proprietários não aceitaram negociar o reajuste. E uma entrevista com Alberto Ajzental, coordenador do curso de Negócios Imobiliários da FGV, que dá dicas de como renegociar o contrato de locação para não prejudicar nem os inquilinos, nem os proprietários.

Ainda sobre o tema, o projeto de lei que fixa o IPCA como teto de correção do aluguel esbarra no lobby de donos de shoppings e instituições financeiras que administram fundos imobiliários. Segundo apuração do Estadão/Broadcast, há ainda outro ente contrário à proposta: o governo federal. De acordo com a reportagem, “a área econômica do governo é contra a medida porque entende que os aluguéis são firmados em contratos privados, em negociação que não deve sofrer intervenção estatal”. A avaliação é que fixar um índice de correção de aluguel judicializa muitos contratos, o que pode aumentar o preço médio do aluguel em grandes cidades. Há, ainda, outro fator: a intervenção do estado pode afastar investidores estrangeiros que aplicam em FIIs.

O Imobi Aluguel desta semana mostra que os setores de desocupação e de reparos – históricos pontos de tensão nas imobiliárias de locação – podem não apenas deixar de ser uma dor de cabeça como representar uma fonte de receita para as empresas. Contamos como as startups de manutenção podem ajudar neste sentido, listamos medidas que reduzem a quantidade de chamados e relatamos o caso de uma imobiliária que profissionalizou o núcleo de reparos e hoje retira dele 10% do faturamento bruto da locação.

Publicado todas as quartas, o Imobi Aluguel é o primeiro relatório de inteligência do país focado neste segmento. Em cada edição, traz um estudo sobre um tema principal, entrevista em áudio, notícias ligadas ao segmento e indicadores atualizados do aluguel. Clique aqui para saber mais sobre o relatório, produzido pela equipe de jornalistas do Imobi Report, com o know-how da CUPOLA, maior consultoria para gestão de imobiliárias do Brasil. 

Incorporadoras

Projetos que permitem saque mais rápido do FGTS estão preocupando a equipe econômica do governo federal. Há propostas como liberar o fundo para permitir a compra de uma 2ª casa, por exemplo. O governo mapeou os projetos mais críticos para avaliar e discutir como não ameaçar a sustentabilidade do fundo. Uma das preocupações, inclusive, é com a manutenção do programa Casa Verde e Amarela, que é subsidiado pelo FGTS.

No Estadão, Luiz França, presidente da Abrainc, foi sabatinado. Luiz comenta, por exemplo, sobre como a alta da Selic não deve influenciar negativamente o mercado imobiliário; como a vacinação e recuperação econômica devem acelerar ainda mais a venda de imóveis; e como a principal mudança no mercado imobiliário no último ano foi a digitalização de processos.

Lançamentos residenciais estão apostando em novas áreas comuns. Há empreendimentos com mercado dentro do condomínio, home office compartilhado, locais para delivery via drones e até “espaços youtuber”, para produção de conteúdo por influenciadores digitais. O movimento não é restrito ao alto padrão. Condomínios de imóveis econômicos também estão apostando em lazer, estruturas diferenciadas e segurança.

Nos projetos desenvolvidos para locação residencial, a incorporação e a hotelaria se misturam. Reportagem da Folha de S. Paulo traz cases de incorporadoras que lançaram suas próprias operações de locação, como a MRV, com a Luggo, e a Vitacon, com a Housi. Há também lançamentos da Idea!Zarvos e SKR, além da Gafisa e sua parceira Nomah. Já falamos sobre o tema no Imobi Report, se você ainda não conferiu é só acessar.

Quem também fechou parceria com a Nomah foi a J.Simões Engenharia, uma das grandes construtoras e incorporadoras do Ceará. O diretor comercial Daniel Simões conta mais no podcast Vem pra Mesa, de Sergio Langer.

Na última terça-feira (22) aconteceu o Top Imobiliário 2021, prêmio que reconhece os maiores players do mercado imobiliário desde 1993. MRV, Cyrela e Lopes conquistaram, respectivamente, o título de campeãs nas categorias de construtora, incorporadora e vendedora.

Techs

A Yuca recebeu aporte de rodada série A no valor de US$ 10 milhões, liderado pelo fundo de venture capital Monashees. A proptech quer ir além das soluções de coliving, investindo em parcerias estratégicas e no reforço da equipe. A Yuca já iniciou a diversificação da operação e entrou no final de 2020 no mercado de apartamentos individuais, que já responde por 30% do portfólio.

O cofundador e head de Real Estate da Yuca da Yuca, Rafael Steinbruch, é um os nomes confirmados na programação do Imobi Experts Aluguel, evento realizado pelo Imobi Report. Confira a lista de speakers já confirmados aqui

Quem também trabalha para descomplicar a jornada de locação é a Esteira Digital, novo serviço da Universal Software. A solução ajuda imobiliárias ao reunir funcionalidades que automatizam processos da jornada do aluguel, desde o agendamento de visitas, proposta, análise de crédito até a assinatura digital do contrato. Em entrevista ao Imobi Report, o diretor da Universal Software, Pedro Henrique Nhimi, explica. “Vemos um problema muito grande da experiência da locação não ser fluída. A Esteira Digital chega para facilitar a vida do inquilino e dar escala ao trabalho das imobiliárias”, ressalta.

Referência em desburocratização, a CredPago firmou parcerias que prometem atrair novos clientes. O BTG+ e o Banco PAN, ambos do BTG Pactual, fecharam acordo com a startup para oferecer o serviço de garantia de pagamento de aluguel residencial. Desta forma, os clientes da CredPago vão ter acesso a serviços bancários com descontos e condições especiais. 

O iRent é uma modalidade que está garantindo boa rentabilidade para algumas operações. Em Santa Catarina, parceria entre uma tradicional imobiliária e a startup de moradia compartilhada Divid explora este modelo. O Imobi entrevistou o CEO e cofundador da Divid, Gabriel Acetta, e ele contou os detalhes desta operação – que promete seguir em expansão.

E crescimento também é a palavra da vez para a Vila 11, que vai investir R$ 120 milhões em dois novos empreendimentos na cidade de São Paulo. As entregas estão previstas para 2024 e 2025 nos bairros Jardins e Pinheiros. A construtech desenvolve e administra prédios residenciais para locação. Com o investimento, contabiliza 13 ativos em em sua carteira. A meta é fechar 2022 com 600 apartamentos e quadruplicar este total no período de cinco anos.

As proptechs ganham destaque cada vez maior no mercado brasileiro. O Estadão reuniu vários exemplos de empresas que promovem inovação no setor imobiliário. Um dos destaques é a aMORA, que atende quem quer comprar um imóvel e não tem como pagar a tradicional entrada de 20%. Na publicação, também são apresentadas startups que trazem soluções para desafios clássicos da locação, como a necessidade de garantia e de fiador.

Mundo

Os preços dos imóveis bateram recorde nos Estados Unidos e em partes da Europa. A alta é resultado de estímulos fiscais recebidos pelos mercados locais, o que contribuiu para mitigar o impacto da pandemia. Nos EUA, em maio, o aumento do preço médio das moradias foi mais de 23% na comparação com o mesmo período de 2020. Já na Holanda, no mesmo comparativo, a alta superou os 12%. O volume de vendas, contudo, caiu.

Brasileiros que compram imóveis nos Estados Unidos estão explorando novas opções. A queridinha absoluta Miami agora divide os holofotes com Aspen, no estado do Colorado. A cidade é famosa pelas estações de esqui e conta com grandes áreas de preservação, o que restringe novas construções e promove a escassez de moradias. Tony Marx, sócio da imobiliária Piquet Realty Aspen, afirmou ao Estadão que vendeu oito imóveis no local entre janeiro e abril, sendo seis deles para brasileiros. O metro quadrado de Aspen custa o dobro do que o de Miami e, nos últimos 12 meses, aumentou 30%. 

O uso de inteligências artificiais e sistemas automatizados é peça-chave nas cidades inteligentes. Com a previsão de que dois terços da população do planeta vão morar nos centros urbanos até 2050, os projetos de smart cities ganham importância. Um dos maiores expoentes neste sentido está na Arábia Saudita: a cidade Neom começou a sair do papel e promete reunir inovações em segurança e tecnologias que sequer existem no momento, como o uso de táxis voadores. No Japão, a Toyota està a frente da Woven City, a ser entregue em 2024, que terá áreas definidas segundo a velocidade dos veículos. Já na China, a Forest City prevê edifícios verdes, cobertos por plantas. No Brasil, uma cidade inteligente está em construção em Fortaleza e prevê soluções variadas, como sistema para compartilhamento de veículos.

Estamos de Olho

Corretores que usam ferramentas online para vender imóveis reais são assunto recorrente por aqui. Mas o que dizer de corretores reais de imóveis virtuais? A empresa Republic Realm desembolsou quase 1 milhão de dólares para comprar um imóvel digital, que existe só em um universo virtual. A “localização” da propriedade é o Decentraland, uma espécie de jogo baseado em blockchain, que usa criptomoedas nas negociações. O jogo registrou 79 negociações na última semana, entre imóveis, terrenos virtuais e outros ativos.

Seja de imóveis físicos ou virtuais, ser um corretor de sucesso requer excelentes habilidades de comunicação. É preciso falar e escutar de maneira eficaz para entender o que é mais importante para seus clientes, fortalecendo as conexões, construindo confiança e evitando conflitos. Kariny Martins, consultora da CUPOLA, dá 5 dicas de como sair do piloto automático e ter uma comunicação mais consciente.

Já Michel Prado, editor do Imobi Report, conta como a CUPOLA investiu na criação de um squad dedicado à Diversidade e Inclusão, e quais os resultados obtidos. Além de compartilhar a experiência prática da CUPOLA, o texto vem para celebrar o mês do orgulho LGBTQIA+.

Inclusive, na próxima quinta-feira (1º de julho) a live semanal do Imobi Report terá como convidada Francine Malessa, diretora e consultora de diversidade na Alteritat. Michel entrevistará Francine para explicar como imobiliárias e incorporadoras podem dar os primeiros passos em diversidade e inclusão em suas empresas. A transmissão ao vivo será às 18h, pelo Instagram do Imobi.

Se você quer ouvir essa edição comentada pelos jornalistas que produzem o Imobi Report, é só ficar ligado no Semana Imobi. Todas as sextas-feiras, um episódio novo para você, comentando as principais notícias da semana.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

5 1 vote
Avaliação do artigo
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x