fbpx

Construtoras

Mercado de loteamentos: soluções tecnológicas para vender mais terrenos

Denis Levati
Escrito por Denis Levati em 9 de julho de 2021
12 min de leitura
Mercado de loteamentos: soluções tecnológicas para vender mais terrenos
Toda semana, no seu e-mail.

Assine gratuitamente a principal newsletter do mercado imobiliário brasileiro.

Mesmo em nossa época, onde a tecnologia está presente no dia a dia de praticamente tudo que envolve o mercado imobiliário, a venda de terrenos em loteamentos ainda segue um modelo tradicional, com marcações manuais em partes do processo de vendas. 

Ainda que existam no mercado várias ferramentas tecnológicas e que atendam as empresas do setor, sejam elas especializadas em condomínios verticais ou horizontais, faltam soluções pensadas exclusivamente para os loteamentos.

A InstaCasa é uma exceção à regra, uma empresa de tecnologia que oferece a clientes a oportunidade de visualizar construções nos lotes avaliados para compra e que, diante da necessidade de inovação do setor, tem ampliado seu leque de opções para acelerar a venda de empreendimentos horizontais. 

Maurício Carrer, fundador da InstaCasa, conhece o setor de loteamentos e formatou a empresa a partir de sua formação como arquiteto e de sua experiência atuando em loteadoras e conhecendo suas dores. 

Para conhecer melhor a InstaCasa, a jornalista do Imobi Report Ana Clara Tonocchi e eu conversamos com o Maurício a respeito da empresa e, claro, falamos muito sobre o mercado de loteamentos e as novidades do segmento. 

Maurício Carrer, fundador da InstaCasa

Convido você a conhecer os principais pontos a seguir: 

IMOBI REPORT: Quem é o Maurício, como veio parar no mercado de loteamentos? 

Maurício Carrer: Sou formado em arquitetura e escolhi essa carreira por gostar do mercado imobiliário. Mas eu sempre tive uma pegada mais business do que artística. Fiz estágio em empresas como a Cyrela, onde me encantei com o mercado de incorporação. Depois fui trabalhar na Alphavile, uma das maiores incorporadoras do Brasil na área de loteamentos, onde descobri o segmento. E apesar de ter minha família ligada à incorporação, eu sempre tive o intuito de empreender e estou bem feliz com a InstaCasa entregando valor para o mercado. 

IMOBI: Uma dificuldade que existe no mercado de loteamentos é a de materializar o sonho da casa em um terreno. Diferente de outros segmentos que mostram uma imagem projetada de um prédio, por exemplo, é dificil imaginar que construção estará em um lote. Como a InstaCasa propõe a solução para este problema?

Maurício: Esse é o fator que me fez empreender a InstaCasa por perceber essa dor que existe no mercado. Diferente do incorporador de edificações que vende o produto final, o loteador vende um meio para isso, que é o lote. A pessoa que está comprando um lote não está comprando pelo terreno, mas sim porque ela tem um sonho e quer construir a sua casa. 

Foi para mostrar esse sonho que fizemos a InstaCasa, uma proptech que atua para que o corretor consiga mostrar para seu potencial comprador o que de fato pode ser construído no terreno. Nossa solução é uma plataforma digital, contratada pelo incorporador e usada pelo corretor, onde ele pode, com acesso às dimensões de um lote, declividade, legislação e regulamento construtivo, apresentar projetos compatíveis, como se tivessem sido feitos para os lotes que ele está vendendo. 

O objetivo é impactar o comprador não só com o lote, que é o meio, mas sim com o fim, que é a casa. São centenas de modelos que chegamos a oferecer em um lançamento. Oferecemos tanta variedade pois acreditamos que o incorporador possa realmente vender um sonho através de nossa plataforma. 

IMOBI: Quem é o usuário da Instacasa? 

Maurício: Nosso modelo atende a vários clientes. Tanto B2B, pois quem contrata é o loteador, é ele quem está desenvolvendo o loteamento e é ele quem nos remunera. Ttambém é B2C quando atende ao cliente que comprou o lote. 

Mas nosso trabalho vai além, a gente treina os corretores, faz onboarding, participação de meeting, departamento de customer success para acompanhar o engajamento dos clientes.

Cada comprador fica com um acesso, um cadastro na Instacasa que o vincula a seu lote e disponibiliza os projetos que se adequam ao lote comprado. Existem várias informações úteis para o comprador que ficam dentro da plataforma, principalmente no pós venda. Eu exemplifico dizendo que durante o lançamento nosso usuário é o corretor e depois, na fase seguinte é o cliente comprador. 

IMOBI: Já entendemos como vocês atuam no mercado de lançamentos, mas agora queremos saber como é a atuação da InstaCasa na venda de empreendimentos em estoque?

Maurício: Temos várias operações que chamamos de estoque, quando o empreendimento tem unidades à venda, mesmo tendo sido lançado há algum tempo. Sendo um projeto acima de 100 lotes, vale a pena montar nossa estrutura para ajudar a vender os terrenos. A operação em si é a mesma de um lançamento. A diferença é que não tem o dia D, o dia do lançamento. Alinhamos com o loteador para ter um momento novo, um represamento, uma nova tabela. 

IMOBI: Que outras soluções da InstaCasa ajudam as loteadoras a modernizar o setor?

Maurício: Temos uma visão de longo prazo e com o entendimento de que devemos oferecer experiências diferenciadas no stand e de todo o processo de compra de um terreno. 

Queremos implementar o financiamento, isso já está andando em alguns empreendimentos, funcionará como um repasse que ajudará loteadores e clientes. A gente acredita que oferecendo financiamento é possível dinamizar a ocupação e melhorar a qualidade de vida das pessoas que compraram um lote, afinal elas fizeram isso para conseguir o sonho de uma casa. 

IMOBI: No Imobi Report, nós sentimos um interesse grande por loteamentos, seja por terrenos em condomínio, ou seja por lotes em novos bairros. Vocês têm sentido esse aquecimento e como se preparam para atender a demanda?

Maurício: O mercado realmente está muito aquecido. Condomínios já lançados com padrão um pouquinho mais alto esgotaram. Existe sim um movimento das pessoas saírem dos centros e buscar empreendimentos de certa forma próximos às capitais. Sair de um apartamento de 60 metros quadrados para casas com por exemplo de 200 metros quadrados em uma região próxima. 

Temos um caso recente onde um projeto vendeu mais de 500 lotes em um final de semana. É grande a demanda, principalmente quando é perto de São Paulo, em distâncias que possam ser feitas rapidamente, sem configurar uma viagem.

Tem muito investidor olhando para o mercado de loteamentos, eu até brinco com a frase: “quem compra terra não erra”, pois o investidor não olhava mais para esse setor e isso mudou ultimamente. Já vínhamos neste movimento no segundo semestre de 2020, quando as empresas entenderam o interesse pelo segmento. Nosso time vem crescendo, eu ainda não conheço presencialmente dois terços do time, mas seguimos nos estruturando para crescer e estruturar outras frentes de negócios, além de escalar cada vez mais nossa capacidade de atendimento, talvez até dobrar para o ano que vem. 

Vem mais conteúdo sobre loteamentos e condomínios horizontais aqui no Imobi Report

A conversa com Maurício Carrer foi muito além de soluções de realidade virtual para o mercado e abordou outros temas sobre rodadas de investimento, perfis de projetos adequados a públicos, novas soluções para o mercado de condomínios, entre outros assuntos. Nos próximos dias, publicaremos a entrevista em formato de podcast, com o intuito de oferecer mais formatos de conteúdo para nossa audiência. 

Nos próximos artigos, trago entrevistas com corretores especializados em vender exclusivamente lotes e executivo de incorporadora que atua em formato misto, oferecendo projetos verticais e horizontais. 

Um abraço e até o próximo.

Denis Levati

Denis Levati

No mercado imobiliário ocupando diversas posições desde 2008, Denis Levati tem passagens por grandes empresas como Lopes, VivaReal e Zap. Hoje é especialista em conteúdo e sócio da agência Cupola.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

5 1 vote
Avaliação do artigo
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x