Crédito Real já usa IA em pelo menos sete processos
AluguelDestaquesImobi Report

Crédito Real já usa IA em pelo menos sete processos

O ingresso da Inteligência Artificial (IA) no mundo dos negócios é inevitável. As dúvidas relacionam-se apenas a quais soluções serão adotadas e em que áreas essa tecnologia melhor se aplica. O CEO da Crédito Real e especialista em IA, Carlos Eduardo Ruschel, é um entusiasta dessa inovação. Em sua empresa, há pelo menos sete aplicações baseadas na tecnologia, aprimorando os processos em áreas que vão desde o atendimento a clientes até os departamentos financeiro e jurídico. 

Alguns profissionais podem ter o receio de que a IA substitua o trabalho humano. Entretanto, a previsão é que a tecnologia substitua tarefas mais burocráticas e que não demandam esforço criativo. “A inteligência artificial vem para melhorar a qualidade do trabalho e não substituir pessoas por máquinas”, afirma Ruschel. O executivo acredita que é fundamental despertar o interesse nas pessoas pela inovação. Como líder, ele relata que incentiva o uso de IA nos processos e estimula o aperfeiçoamento das equipes no uso dessas soluções.

Para obter respostas efetivas, os usuários de IA precisam ser capazes de escrever prompts (comandos, em inglês) de forma eficaz e eficiente. Deste modo, fazer cursos e consumir conteúdos relacionados ao tema é a melhor forma para entender como a inovação funciona e estar preparado para trabalhar com ela. “Apesar de ser chamada de inteligência artificial, trata-se de uma ferramenta linguística”, esclarece Ruschel. Com isso, a comunicação pode se tornar ainda mais relevante no ambiente de trabalho.

Na área imobiliária, Ruschel destaca que há muitas oportunidades para a utilização de IA. Além das áreas já citadas (atendimento ao cliente, financeiro e jurídico), já há aplicações para a produção de anúncios, em processos administrativos e comerciais e até para auxiliar nas rescisões de contratos. “Assistentes virtuais são fontes de informação consolidada com linguagem acessível”, reforça o executivo. 

Para Ruschel, que acompanhou o desenvolvimento de todas as IA da empresa, a inserção desse tipo de tecnologia no negócio deve ser metódica. “Inteligência artificial não é uma varinha mágica, exige muito trabalho e análise, para saber o que funciona e o que não funciona”, alerta. Assim, cada imobiliária deve analisar qual solução se encaixa melhor nas suas necessidades, se possível, com o auxílio de especialistas na área e após muito estudo sobre o assunto.

Ruschel é um dos palestrantes confirmados na 3ª edição do CUPOLA Conference Aluguel, que acontece no dia 7 de agosto, nos formatos on-line ou presencial. Ele vai compartilhar toda a sua experiência na área na palestra “Como usar o potencial da Inteligência Artificial para criar valor na locação de forma prática e assertiva”. Não perca essa oportunidade! Garanta o seu ingresso para o evento.

Tags:

Adilton Fernandes

Bacharel em Administração de Empresas com MBA em Gestão Estratégica. Possui experiência na área de locação de imóveis e é analista de conteúdo do Imobi Report.

Ver artigos

Seja o primeiro a comentar!