fbpx

Imobi Explica

Conheça a CBL e o mercado de loteamentos abertos

Denis Levati
Escrito por Denis Levati em 11 de outubro de 2021
4 min de leitura
Conheça a CBL e o mercado de loteamentos abertos
Toda semana, no seu e-mail.

Assine gratuitamente a principal newsletter do mercado imobiliário brasileiro.

O mercado de loteamentos do Espírito Santo possui uma empresa com alto desempenho em vendas e com projetos habitacionais diferenciados, adequados às cidades em que atua. 

A Companhia Brasileira de Loteamentos, mais conhecida como CBL, foi fundada em 2008 e já conta com mais de 20 projetos horizontais lançados. Todos são bairros abertos constituídos em 8 cidades capixabas. 

Com sede em Vitória, a CBL está localizada no Base 27, um hub de inovação para empresas de engenharia e construção. Foi de onde Renato Ferreira, head comercial da empresa, conversou comigo e com Ana Clara Tonocchi sobre o mercado de loteamentos no Espírito Santo.  

A conversa com Renato abordou a importância do gestor comercial e de uma formação multicultural e multidisciplinar para a função, sobre as estratégias de vendas e relacionamento adequadas às regiões e sobre como corretores devem se tornar especialistas em lotes. 

Renato Ferreira, head comercial da CBL

Confira no texto alguns dos pontos relevantes pinçados de nosso papo: 

Imobi Report: Você tem um histórico como publicitário. Quais os conhecimentos que o publicitário trouxe para o head de vendas?

Renato Ferreira: Eu acho que o principal ganho é ter uma visão multidisciplinar de eixos, como marketing e vendas que, somados, apresentam um resultado espetacular. Até o momento em que vim para a CBL era vendas vindo para o lado esquerdo, marketing indo para o lado direito. Áreas que não se falavam, que não tinham conexão, e isso é muito desgastante. Então, quando você vem de uma visão de publicidade, de comunicação, uma visão 360, você consegue conectar as áreas em torno de um objetivo único, que é vender. 

Minha visão de carreira é de não ser o gerente clássico de vendas, de salão. Mas em uma visão de estratégia e de inteligência de mercado, de capacitação de time é como eu tenho construído minha carreira dentro do time da CBL, executando isso juntamente com gerentes regionais e o time de vendas. 

Felizmente, tem dado muito certo.

Imobi Report: Essa figura, a do gerente fechador, ainda é a mais comum no mercado. Que dica você compartilha para quem deseja apostar em uma estratégia como a da CBL?

Renato Ferreira: Apostar na multidisciplinaridade. Você precisa ter um especialista em uma área que seja fundamental como marketing ou vendas, mas precisa entender de inteligência de mercado, de análise de dados, de estratégia comercial. Querendo ou não, você lidera gente então tem que entender de gente! O mais importante, aliás, talvez seja isso: entender de gente!

Continue sendo um corretor de imóveis na essência, mas se você é um profissional que quer ter uma carreira executiva, pensar em alcançar novos desafios, e pensar mais amplamente tem que buscar capacitação em assuntos que vão além do stand de vendas. 

Imobi Report: E inovação certo? Pelo que estamos conversando, o tema está presente na CBL. Quanto vocês pensam em inovação?

Renato Ferreira: Sempre, né?! Hoje, quem não pensar com a inovação ao seu lado, naturalmente estará de fora do mercado. A tecnologia está aí para ajudar a corretores e imobiliárias. E a quantidade de aplicativos que estão à disposição desse corretor é algo enorme ao longo dos últimos 15 anos. 

Com a pandemia, isso acelerou muito e quem não estiver experimentando, inovando, testando, está perdendo um bonde importante. 

Imobi Report: Como você equilibra os atendimentos online e offline no atendimento dos corretores da CBL?

Desde a nossa fundação, há 13 anos, entre os nossos pilares está termos uma house e um time de corretores que chamamos de especialistas em lotes. Temos profissionais que vivem todo esse tempo vendendo terrenos. 

É importante a formação de novos corretores, de gente que dominam as redes sociais, mas temos também corretores que, mesmo com praticamente nenhuma presença digital, são campeões em vendas em nossos produtos. 

Em uma cidade pequena, como algumas que atuamos, com 15 mil habitantes, ter corretores que atuam com essa vontade, abrindo a implantação no capô do carro para informar a topografia e a localização, faz a diferença, isso é muito importante. 

Não temos experiência prática [no vertical], mas eu acredito que o meu campeão de vendas, se ele vier a trabalhar no vertical, vai ter dificuldade, pois ele é um especialista em lotes e todas as características que envolve esse tipo de produto, como a linguagem por exemplo. 

Temos compradores que visitam o stand com dinheiro, fruto do seu trabalho rural, como por exemplo, o produtor de café e precisa saber atender esse produtor rural. Talvez esse cliente não seja digitalizado e precise ser atendido de uma maneira que julgue confortável. 

Acredito que o mix de um time com a pegada digital somado ao trabalho de corretores mais tradicionais seja preponderante para nossa estratégia. Estamos hoje com produtos para a Grande Vitória, onde é preciso ter uma linguagem mais dinâmica. 

Confira mais sobre loteamentos e condomínios horizontais aqui no Imobi Explica

Conversamos mais com o Renato Ferreira e o papo tocou em pontos comuns ao mercado de loteamentos: regionalismo, estratégias comerciais e de marketing e, principalmente, sobre o ambiente de inovação em que a CBL está inserida. 

A entrevista pode ser conferida na íntegra no Imobi Explica, podcast que apresenta temas relevantes para o mercado imobiliário em séries temáticas e loteamentos é o assunto desta temporada.  

Um abraço e até o próximo.

Denis Levati

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

0 0 votes
Avaliação do artigo
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x