Os principais índices de reajuste de aluguel e como são apurados

INPC: apurado pelo IBGE e calculado entre os dias 1 a 30 de cada mês, em 11 capitais brasileiras, medindo a variação do custo de vida de pessoas que recebem entre 1 e 8 salários mínimos.

IPCA: semelhante ao INPC, porém reflete o custo de vida das famílias com renda mensal de 1 a 40 salários mínimos. É utilizado como alvo das metas de inflação (inflation targeting) no Brasil.

IGP: calculado pela FGV, é uma média ponderada dos índices de preços no atacado, de preços ao consumidor e do custo da construção civil, sendo apresentado em três modalidades: IGP-DI, o IGP-10 e o IGP-M. IPC: calculado pela FIPE, apura o custo geral de bens e serviços comprados por um consumidor típico, sendo computado em período de 30 dias.

INCC: índice utilizado para que haja o devido reajuste do saldo devedor de uma obra em relação a imprevistos e mudanças nos seus custos, principalmente de materiais que serão utilizados. FIPE-ZAP: índice que acompanha os preços de imóveis residenciais e comerciais, calculado pela FIPE com base em informações extraídas de anúncios de imóveis para venda e locação veiculados nos portais ZAP.

Seis maneiras de evitar o golpe do boleto falso de aluguel

IGMI-R: índice que acompanha os preços dos imóveis residenciais, tomando como fonte de informações os laudos de avaliações dos bancos que fazem financiamento imobiliário. As entidades responsáveis pelo levantamento de dados são a FGV e a ABECIP. IVAR: calculado com base na captação de preços diretamente de novos contratos de locações residenciais e reajustes dos existentes, obtidos por agentes do mercado imobiliário, nas cidades de Belo Horizonte, Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo.